Turma 2013

Antonio Carlos Fausto da Silva Júnior
Contato: antoniofaustojr@gmail.com 
Linha de Pesquisa: Mídia e Cultura na Amazônia
Título da Dissertação: CANÇÃO PARA INGLÊS VER: gêneros, identidades e relações de poder no carimbó e no brega

Resumo: Intitulada Canção pra inglês ver: gêneros, identidades e relações de poder no carimbó e nobrega, esta dissertação objetiva analisar os sentidos sobre identidades culturais no carimbó eno brega, divulgados junto ao mercado global como música autenticamente paraense. Partimos da natureza comunicativa (MARTÍN-BARBERO, 2001) e do caráter de processocomunicacional (FRANÇA, 2001) do carimbó e do brega para identificarmos as estratégias (CERTEAU, 2012) discursivas acionadas na configuração comunicacional desses gênerosmusicais (JANOTTI JÚNIOR, 2006), a fim de discutirmos, a partir delas, os sentidos sobreidentidades culturais (HALL, 2011). Para tanto, recorremos à Análise de discursos e aIconografia e Iconologia, dois métodos de pesquisa importados do campo da História da Arte.Combinação metodológica que nos possibilita trabalhar junto ao caráter discursivo docarimbó e do brega, cuja configuração comunicacional, atravessada por assimétricas relaçõesde poder cultural, mercadológico e político, prevê o acionamento de estratégias discursivascom o intuito de domesticar o sentido sobre identidades, em detrimento de algumashibridações culturais capazes de prejudicar a visibilidade de artistas, produtores culturais, empresários e políticos em um mercado simbólico global afeito ao consumo de regionalismos (HALL, 2011).


Dissertação do Aluno 

Orientador: Prof.a Dr.a Regina Lúcia Alves de Lima

Vívian de Nazareth Santos Carvalho

Contato: viviansantoscarvalho@gmail.com 
Linha de Pesquisa: Mídia e Cultura na Amazônia
Título da Dissertação: O INDÍGENA NA TELENOVELA BRASILEIRA: discursos e acontecimentos

Resumo: Esta dissertação analisa os discursos que circulam nas telenovelas brasileiras sobre associedades indígenas. Para isso, nos apropriamos das formulações propostas por MichelFoucault, em “A Arqueologia do Saber”, com o objetivo de investigar as regularidades edispersões nos discursos sobre os povos indígenas presentes nestas ficções televisivas seriadas.Partimos, principalmente, da análise de cenas das telenovelas “Aritana” (1978), “Uga Uga”(2000) e “Alma Gêmea” (2005). Mostramos como estas produções, que apresentam tramasdiferentes e foram exibidas em épocas distintas, apresentam regularidades na construção deseus protagonistas indígenas. Em uma perspectiva foucaultiana, procuramos entender como ospersonagens indígenas são construídos nestas narrativas televisivas, quais enunciadosrelacionados a eles aparecem nestas produções e a que redes de memórias eles se filiam.Tomamos a categoria analítica de intericonicidade, proposta por Jean Jaques-Courtine (2013),com o objetivo de compreender a construção das imagens dos personagens indígenas presentesnestas telenovelas. Para analisar em que momentos históricos os discursos sobre as sociedadesindígenas ganharam destaques nas telenovelas brasileiras, realizamos, no período de fevereiro ajulho de 2014, um extenso levantamento das telenovelas que foram exibidas, ao longo de 50anos, nas principais emissoras de televisão. A partir deste levantamento, chegamos a trêsgrandes acontecimentos bastante imbricados com produções que trouxeram personagensindígenas em papéis de destaque: a demarcação, em 1978, do Parque do Xingu, acomemoração, no ano 2000, dos 500 da chegada dos europeus ao Brasil e o momento atual, emque acompanhamos as discussões sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

 

Dissertação do Aluno 

Orientador: Profa. Dra. Ivânia dos Santos Neves

Bruno Monte de Assis
Contato: bruno.monte@mdi.pro.br

Linha de Pesquisa: Estratégias de Comunicação Midiática na Amazônia
Título da Dissertação: Amazônia Virtual no game Brasil Ragnarök Online:representações, construção e circulação de sentidos sobre a região

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo analisar a presença de representações amazônicas emBrasil Ragnarök Online (BRO), um jogo digital para milhares de participantes simultâneos. A investigação foi fundamentada em pesquisa documental e bibliográfica para embasar as discussões a respeito de processos de representação, construção e circulação de sentidos nosjogos, sobretudo em jogos digitais, além de apresentar brevemente o processo detransformação das capacidades representativas desses produtos midiáticos ao longo de suahistória. Para a descrição e análise do objeto empírico, buscou-se a construção do modeloanalítico de representações nos jogos digitais, embasado nas contribuições teóricas de DeniseJodelet (1989), Mikhail Bakhtin (1995), Stuart Hall (2003, 2005) e José Luiz Braga (2012) enas propostas metodológicas direcionadas a jogos digitais de Ian Bogost (2007, 2008),Cristiano Pinheiro (2007) e Felipe Teixeira (2007), respectivamente, a retórica processual, omodelo de jogo digital e a hermenêutica dinâmica. Buscou-se, seguindo o modelo de análiseproposto, realizar um levantamento dos jogos digitais que apresentaram representações daAmazônia em seu conteúdo para verificar aspectos relacionáveis às encontradas em BRO.Verificou-se que os sentidos construídos em BRO reforçam inúmeros estereótipos sobre aregião amazônica, de modo a apresentar circularidades com os sentidos existentes nos jogosdigitais descobertos no mapeamento. Apesar disso, acredita-se que os jogos digitais seconfiguram como uma mídia potencial para valorizar e debater acerca da região amazônica, evidenciando uma realidade que possibilita pesquisas futuras.


Dissertação do Aluno 

Orientador: Prof.a Dr.a Luciana Miranda Costa

Daniella de Gois Ariston Barion

Contato: dbarion06@hotmail.com

Linha de Pesquisa: Estratégia de Comunicação Midiática na Amazônia
Título da Dissertação: OS DISPOSITIVOS E EPISÓDIOS INTERACIONAIS DO PROJETO NEWTON DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ.

Resumo: Esta dissertação aborda a análise dos Dispositivo e Episódios Interacionais que configuram os processos comunicacionais do Projeto Newton, em busca de compreender de que forma esses processos demonstram a participação das tecnologias na construção de sentidos por parte dos participantes dos sistemas de relação estabelecidos. Tais processos são denominados, por Braga (2012c), como Invenção Social de Direcionamento Interacional, quando a tecnologia agrega valor para a sociedade, evidenciando que a importância não está no aparato e sim nos processos comunicacionais. O Projeto Newton é uma ação experimental, da Universidade Federal do Pará, para a qualificação do ensino de Cálculo, para alunos de Engenharia. Elegemos esse Projeto como objeto empírico para tensionamento da teoria por considerarmolo uma proposta inovadora, do campo da educação, ao combinar práticas canônicas e contemporâneas tecidas a partir do midiático. Dessa maneira, utilizamos conceitos de Braga (2011c; 2012b) Dispositivos Interacionais, lugares nos quais podemos explicitar o sistema de relações e perceber os Episódios Interacionais, a partir dos quais desenvolvemos a metodologia da descrição e observação indicada pelo autor. Assim, analisamos o sistema de relações constituidores e constituintes dos processos comunicacionais no Projeto Newton, em quatro dispositivos identificados: a Aula-Programa, que se configura como o dispositivo central da tecitura dos processos comunicacionais, no Projeto, assim, como a Tutoria, o Moodle e o Facebook, esses denominados por nós como ambientes estendidos de interação. Na análise, percebemos que os processos de interação são tentativos e sua intensidade e dimensão, dependem das articulações, trocas e negociações realizadas pelos sujeitos. Apesar de os alunos, como jovens, estarem acostumados ao uso das TICs no cotidiano, há uma enorme dificuldade de rompimento de hábitos educacionais culturalmente constituídos. Isso não ocorre só com os alunos, mas também com professores, tutores e outras pessoas da equipe do Projeto com formações diferentes. Dessa forma, enquanto percebermos a educação distante do sentido da vida, será impossível transformá-la em Invenção Social de Direcionamento Interacional.

 

Dissertação do Aluno 


Orientador: Profa. Dra. Maria Ataide Malcher

Evelyn Cristina Ferreira de Aquino​

Contato: evycristina@yahoo.com.br

Linha de Pesquisa: Estratégias de Comunicação Midiática na Amazônia

Título da Dissertação: SIM OU NÃO?O plebiscito no Pará em 2011, estratégias discursivas e sentidos nas campanhas televisivas

 

Resumo: A proposta deste estudo foi observar como se constituíram as estratégias discursivas nas campanhas televisivas das frentes pró e contra a criação dos estados do Carajás e do Tapajós no plebiscito de 2011, no Pará, e quais os sentidos ofertados por essas estratégias. Em 2011, apopulação paraense foi às urnas com uma grande responsabilidade em mãos: foi a primeiravez que o cidadão foi chamado para decidir sobre a criação de estados. Previsto pelaConstituição de 1988, fundamentado pela lei 9.709, que prevê a participação da populaçãopara decidir sobre desmembramentos de territórios e criação de novos estados e pelaResolução 23.354, que dispôs sobre a organização e conduta da campanha plebiscitária, oplebiscito marcou a história do país. Os antigos anseios de reordenamento territorial naAmazônia vêm desde sua própria constituição como sociedade, fundada no mito da unidadeterritorial. Os debates sobre a necessidade de reconfigurar o mapa do estado para viabilizaruma administração que alcance sua extensão territorial e proporcione desenvolvimento localserviram também para dar corpo aos preceitos de uma divisão política, com diversos tipos deinteresses em jogo. A campanha na televisão começou no dia 11 de novembro e encerrou nodia 7 de dezembro. Ao todo, foram produzidos 80 programas, veiculados às 12h-12h10 e às19h30-19h40. Foram analisados 20 programas, 10 do "sim" e 10 do "não". A análise tevecomo base as premissas de que as frentes pró e contra a criação dos estados do Carajás e doTapajós no plebiscito de 2011 apresentaram seus programas em um processo de interação, umem resposta ao outro, e, a partir disso, construíram suas estratégias e seus discursos, e que ascampanhas se apropriaram de um processo histórico e cultural de (re)produção discursivasobre o Pará para construir seus argumentos. Os procedimentos metodológicos envolveram ouso do método da análise do discurso na vertente dialógica de Mikhail Bakhtin. Outrosautores importantes foram Antonio Fausto Neto, para compreender as estratégias discursivas;Eliseo Verón, sobre discurso político, enunciação e enunciado; Vera França e Adriano DuarteRodrigues, acerca da discussão sobre interação comunicacional. A análise mostrou que asfrentes de campanhas trabalharam com estratégias discursivas que ofertaram doismacrodiscursos: o discurso da integridade e união da população contra a divisão, por meio deapelos à cultura (frentes do "não") e o discurso dos novos estados como única solução paratodos os problemas do Pará, por meio da apresentação de fatores econômicos (frentes do"sim"). Outros discursos encontrados foram o da integridade regional; dodesenvolvimentismo; dos estados que deram certo; da extensão territorial; do abandono e daingovernabilidade; da ingerência externa e dos estados inviáveis. Mesmo com a vitória do"não" à divisão, as consequências desse resultado e sua discussão estão longe de se estagnar.Analisar as campanhas televisivas do plebiscito foi uma forma de compreender a Amazônia.Para uma região complexa e heterogênea com dificuldades de ser pensada, só umametodologia conjuntural e amplificada pode dar conta de sua extensão não só territorial, mas,sobretudo, histórica, social, política e discursiva.

 

Dissertação do Aluno

 

Orientadora: Profa. Dra. Netília Silva dos Anjos Seixas

Thaís Luciana Corrêa Braga

Contato: thaislcbraga@gmail.com
Linha de Pesquisa: Mídia e Cultura na Amazônia
Título da Dissertação: NEM EU, NEM O OUTRO; QUALQUER COISA DE INTERMÉDIO Estudo exploratório de formas simbólicas sobre o plebiscito para a criação dos Estados de Carajás e de Tapajós

Resumo: Realizado em 11 de dezembro de 2011, o plebiscito propunha a criação dos Estados de Carajás e de Tapajós a partir da divisão territorial do Estado do Pará. O total de 66% dos eleitores paraenses que compareceram à consulta pública votou contrário às duas propostas, enquanto que 33% deles votaram favoráveis à criação dos dois Estados. A partir desse acontecimento histórico para a população paraense, a pesquisa objetiva compreender os sentidos produzidos pelos jornais impressos O Liberal e Diário do Pará sobre o plebiscito no Pará a partir da definição de formas simbólicas. Utilizo o referencial metodológico da hermenêutica de profundidade (HP), proposto por J. B. Thompson, aliado às técnicas da análise histórica e da análise de conteúdo. A amostra da pesquisa é composta por 135 edições, 57 de O Liberal e 78 do Diário do Pará. Para a composição da amostra, considerei todas as edições dos dois jornais publicadas nos meses de junho, julho, novembro e dezembro de 2011. No entanto selecionei, apenas, aquelas em que havia alguma informação sobre o plebiscito no Pará, independente do gênero jornalístico. O desenvolvimento inicia-se com a caracterização histórico-geográfica dos territórios de Carajás e de Tapajós a fim de situar a proposta de divisão do Pará ao longo do tempo. Em seguida reflito sobre o caráter comunicacional da atividade jornalística: a correlação estabelecida entre o eu e o outro faz com que toda informação seja uma comunicação em potencial. O outro representa tanto aquele a quem o eu se dirige, como o terceiro sobre quem se fala. A comunicação de massa, ainda que de forma mediada, recorre a essa dimensão e, por isso, é capaz de colocar em contato falas distantes. O poder simbólico da comunicação de massa consiste em visibilizar ou silenciar essas falas. As interpretações/re-interpretações do que os jornais impressos produziram sobre o plebiscito no Pará, identificadas na pesquisa, finalizam o estudo exploratório. Algumas delas são: o plebiscito foi tratado como eleição partidária, garantindo vitória ao “Não” e derrota ao “Sim”, quando, na verdade, tratava-se de consulta popular; Carajás e Tapajós uniram-se em oposição à Belém, contudo os dois territórios possuíam razões diferentes para a divisão; a imagem associada à Carajás e a Tapajós são de políticos homens; os dois jornais impressos viram o plebiscito como quebra, divisão, recorte e perda econômica, principalmente.

 

Dissertação do Aluno 

Orientador: Profa. Dra. Alda Cristina Silva da Costa

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now