Evento de Encerramento das Atividades Semestrais do Grupo de Pesquisa de Narrativas Contemporâneas na Amazônia - NARRAMAZÔNIA

25 Jun 2019

 

O Grupo de Pesquisa Narrativas Contemporâneas na Amazônia – Narramazônia (UFPA/UNAMA) convidou a companhia paraense Usina Contemporânea de Teatro para o encerramento das atividades do projeto neste semestre e contará com a ilustre participação do diretor Alberto Silva Neto e do ator Claudio Barros, da companhia, para falar sobre a peça "Solo de Marajó". Além do debate, um trecho do monólogo será apesentado ao público.

 

BATE-PAPO - DALCÍDIO EM SOLO (DIÁLOGOS SOBRE NARRATIVAS NO TEATRO)
DATA E HORÁRIO - Dia 27 de junho, às 16h

LOCAL - Auditório B100 da Unama, localizada na Alcindo Cacela. 

 

A entrada é aberta e gratuita a todas e todos. 

 

___________________________________

 

RELEASE COMPLETO


O Projeto de Pesquisa Narrativas Contemporâneas na Amazônia – Narramazônia (UFPA/UNAMA) convidou a companhia paraense Usina Contemporânea de Teatro para o encerramento das atividades do projeto neste semestre. O encontro será realizado na próxima quinta, 27, no auditório B100, da Unama da Alcindo Cacela e a entrada é aberta e gratuita. Na ocasião, o ator Claudio Barros vai apresentar para os participantes um trecho do monólogo “Solo de Marajó”. Dirigida por Alberto Silva Neto, a peça é uma transcriação da obra “ Marajó” (1937), do escritor paraense Dalcídio Jurandir (1909-1979).
A ideia do bate-papo é permitir aos participantes do Grupo Narramazônia e ao público em geral o debate e a reflexão sobre o modo como o romance Marajó, enquanto narrativa, foi adaptado para o teatro e, a partir daí, problematizar o encontro e os diálogos entre literatura e teatro. O Narramazônia é coordenado pelos professores Alda Costa e Vânia Torres (FACOM/PPGCPM/UFPA) e pelo professor Paulo Nunes (PPGCLC/UNAMA).

“Solo de Marajó” é uma peça exibida há dez anos pela companhia Usina e narra oito histórias extraídas do livro de Dalcídio Jurandir. Um aspecto interessante a ser admirado pelo público é a encenação de Claudio Barros, que atua sozinho e sem qualquer elemento cênico em cima do palco, além da iluminação. A peça já foi apresentada em diversas cidades do Brasil ao longo desses dez anos, com ótima recepção do público paraense e nacional.
Claudio Barros e Alberto Silva Neto acumulam experiências notáveis no teatro paraense. Claudio Barros já fez parte de outros grupos teatrais e integrou o elenco de peças como Ver de Ver-o-Peso, Cena Aberta e Cuíra do Pará. Há dez anos faz parte da companhia Usina de Teatro. Já Alberto Silva Neto, é diretor, ator e também professor da Escola de Teatro e dança da UFPA, além de compor e dirigir as criações da Companhia Usina desde 2009.
No encerramento das atividades do Narramazônia, nesta quinta-feira, 27, o Professor Paulo Nunes iniciará o evento falando um pouco sobre a obra de Dalcídio Jurandir, em seguida o ator Claudio Barros discorrerá sobre o processo de escolha do
romance “Marajó” e Alberto Silva Neto contribui com o debate abordando o processo de
transcrição do livro para a peça teatral.
 

Serviço: Encerramento das atividades do Narramazônia com a participação da
Companhia Usina Contemporânea de Teatro, encenando o monólogo parte da peça “Solo
de Marajó”.

 

BATE-PAPO - DALCÍDIO EM SOLO (DIÁLOGOS SOBRE NARRATIVAS NO TEATRO)
DATA E HORÁRIO - Dia 27 de junho, às 16h

LOCAL - Auditório B100 da Unama, localizada na Alcindo Cacela. 

 

A entrada é aberta e gratuita a todas e todos. 

 

Please reload

Postagens
Recentes
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now