Projeto Diálogos do PPGCom/UFPA discute os desafios do campo científico da Comunicação

20 Dec 2018

Os desafios para o campo científico da comunicação impostos pelo atual cenário político brasileiro foram discutidos na tarde da última terça-feira (18/12/18) pelos professores Dr. Edson D’almonte, docente do PósCom-UFBA e atual coordenador da área de Comunicação e Informação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e Dr. Marco Roxo, docente do PPGCom-UFF e atual presidente da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (Compós).  O seminário “O Campo Científico da Comunicação e os Desafios da Área”, organizado pelo Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará (PPGCom-UFPA) por meio do projeto Diálogos, foi aberto ao público e ocorreu no auditório do Instituto de Ciências Biológicas (ICB/UFPA).

 

O projeto Diálogos, criado em outubro de 2014 pelo PPGCom-UFPA, tem o objetivo de incentivar atividades acadêmicas extracurriculares, que contribuem para a produção de conhecimento e intercâmbio de saberes de pesquisadores da área. Na tarde do último dia 18, foram discutidas questões relativas às mudanças no processo de avaliação da Capes e as perspectivas para a área da Comunicação

 

Conforme o professor Marco Roxo, o ambiente multiplataforma com o qual nos defrontamos na contemporaneidade envolve as práticas sociais e os processos de disputa que estão presentes no cotidiano e representa desafios aos nossos olhares, além de imputar na forma como desenvolvemos esses processos. “Não faltam fenômenos para nós estudarmos. Um exemplo foi o uso do aplicativo Whatsapp no processo eleitoral”, disse.

 

O professor, contudo, pontuou as dificuldades enfrentadas atualmente pela pesquisa na pós-graduação. “É preciso ampliar as articulações com associações docentes, partidos políticos e parlamentares de diversos partidos”, disse, enfatizando a importância de que sejam criadas formas de atuação mais potentes e eficazes.

 

Assim como ele, o professor Edson D’almonte destacou a relevância da reflexão que é preciso desenvolver diante do atual cenário. O coordenador da área de Comunicação e Informação da Capes informou sobre as mudanças no Sistema de Avaliação da Pós-Graduação, o qual está fundamentado em três pilares: a formação discente, o impacto social e multidimensionalidade (ou multihanking).

 

Uma das modificações informadas por Edson é que, a partir de agora, não apenas os alunos que estão cursando a pós-graduação, mas também os concluintes nos últimos cinco anos poderão ser avaliados. “Precisamos entender que todo o sistema existe pra formar bem o discente”, afirmou. Em relação à premissa do impacto social, o coordenador ressaltou o papel da academia na produção de tecnologia social, com conteúdos capazes de influenciar na formação de políticas públicas. Já em relação à multidimensionalidade, ele explicou que, por meio de um sistema de hankeamento, será possível identificar, através de dados (como a produção discente e a internacionalização das pesquisas), problemas que poderão ser corrigidos ao longo do curso do programa.

 

Embora reconheça que o cenário atual impõe grandes desafios, como a redução do orçamento e as grandes assimetrias regionais, ele reforçou a responsabilidade das instituições na criação de condições para que os investimentos existam. Após o seminário, os professores responderam a várias perguntas de docentes e discentes, atuais e egressos. Dentre os temas abordados no diálogo estabelecido estiveram: de que forma a mudança de foco afetará os projetos que serão apresentados ao programa; as estratégias de amortização das assimetrias regionais; a atual situações das instituições particulares de ensino superior;  a questão do remanejamento de bolsas; como os discentes são vistos para além de um fator de produtividade; formas de ampliação das interlocuções com as diversas frentes, inclusive as conservadoras, dentre outros assuntos.

 

1/10

 

SOBRE OS CONVIDADOS

 

Edson D’almonte (UFBA/Capes)

Possui graduação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (2000), mestrado em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (2002) e doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (2008). É professor Associado I da Faculdade de Comunicação e do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pesquisa temas relacionados ao Webjornalismo, ao Contrato de comunicação, às Teorias da comunicação, à Análise do discurso e à Comunicação e Ética. Foi Presidente da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação - Compós (2015-2017). É Coordenador da Área Comunicação e Informação (CAPES) e membro do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES)

 

Marco Roxo (UFF/Compós)

Possui graduação em Comunicação Social – Jornalismo (2000), mestrado em Comunicação (2003) e doutorado em Comunicação (2007) pela Universidade Federal Fluminense (UFF). É professor Adjunto IV do Departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense (UFF). Pesquisa temas relacionados à questão da autoridade jornalística e ao papel na mediação da experiência esportiva e na enunciação da equação esporte e nação através da televisão. É presidente da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (Compós).

Please reload

Postagens
Recentes
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now