DISCIPLINAS

 

 CURRÍCULO

2016

Estudos Teóricos da Comunicação

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina objetiva oferecer ao aluno uma percepção cartográfica dos referenciais teóricos que contribuem para a construção da pesquisa em Comunicação. Assim, estuda-se os fundamentos, conceitos, temas e autores, procurando situá-los no contexto da pesquisa realizada no Programa. Num primeiro momento, interpreta-se a comunicação em sua dimensão social: suas dinâmicas relacionais, simbólicas e midiáticas; os fundamentos comunicacionais da vida social, os fundamentos sociológicos da Comunicação e a globalidade do processo comunicativo. Em seguida, constrói-se um panorama conceitual das teorias de comunicação: o Funcionalismo (Modelos administrativos, Escola Psicológica de Chicago, a Communication Research, Escola da influência, Comportamentalismo etc.); o Pragmatismo (Semiótica, Interacionismo e a Escola Sociológica de Chicago); a Teoria Crítica (a ideologia e seus fundamentos socioeconômicos, a Escola de Frankfurt, crítica marxista não-frakfurtiana, crítica culturalista gramsciana e lukacsiana, modelos pós-marxistas, econômica política da comunicação, dialogismo bakhtiniano, teoria dos campos de Bourdieu, a indústria cultural e a sociedade do espetáculo); a Teoria da Informação (modelos sistêmicos, matemáticos e cibernéticos); o Estruturalismo (Semiologia, Semiótica da cultura, dialogismo e polifonia, Análise discursiva estruturalista); as abordagens culturalistas (Escola de Toronto, Etnografia da Comunicação, Análise Discursiva, Teoria Ator-Rede, Análise de Recepção) e as abordagens pós-estruturalistas (Escola de Palo Alto, Escola de Montreal, Critica pós-moderna, Etnometodologia, Estudos Culturais). Propõem-se uma percepção sistemática e cartográfica dos modelos e experiências de pesquisa desenvolvidas pelo campo comunicacional. Conclui-se a disciplina inserindo o aluno no debate contemporâneo sobre as questões epistemológicas da Comunicação.


 

Estudos de Temas Amazônicos 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina objetiva proporcionar uma compreensão da formação histórica, econômica, social e cultural da Amazônia com ênfase em seus processos comunicativos. O objetivo é observar as grandes variáveis que concorrem para a formação da experiência social amazônica e, portanto, configuram e são configurados pelos os processos comunicativos contemporâneos presentes na região. Pretende-se discutir, por um lado, a formação da base econômico-exportadora da Amazônia em seus sucessivos modelos – os sistemas agroflorestais da época colonial, o modelo pombalino, o ciclo gomífero e os modelos da integração nacional brasileira, destacando os projetos de desenvolvimento e ocupação do território. Por outro lado, também observa-se a diversidade social e cultural amazônica, abordando os aspectos sincrônicos e diacrônicos de sua constituição sociocultural. Procura-se, assim, compreender as contradições e as negociações culturais presentes nesse processo, destacando a formação populacional e étnica, bem como os campos sociais concorrentes para a constituição dos saberes locais duradouros no tempo e dinâmicos na sua espacialidade.

Análise de Objetos Culturais e Midiáticos

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

Abordagem das estratégias de análise de objetos culturais e midiáticos no âmbito de uma discussão epistemológica. Estudos sobre a representação social e em sociologia compreensiva e fenomenológica da mídia serão destacados, com ênfase nos estudos a respeito dos aspectos discursivos, textuais, imagéticos e estéticos da mídia e de seus produtos, considerando as relações entre a Comunicação e outros sistemas discursivos, tais como cinema, artes plásticas, música, mitologia, filosofia e religião, entre outros. 

 

Comunicação e Cidadania na Amazônia

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina localiza a Comunicação no âmbito do poder de Cidadania nas sociedades contemporâneas, fazendo uma reflexão sobre a hegemonia e a contra-hegemonia na esfera pública local/global. Discute-se as diversas possibilidade de práticas socioculturais emancipatórias na região amazônica, desenvolvidas a partir da luta política cotidiana, tensionada e travada com o Estado. Implica pensar, dentro de um contexto capitalista global, formas alternativas para sustentar os princípios democráticos e o direito social. Atenta-se à cidadania das minorias e suas práticas comunicativas, às trilhas insubordinadas dos movimentos sociais e às sensibilidades cidadãs individuais, à cultura de resistência e à cultura popular.

 

Comunicação e meio ambiente

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

Estratégias midiáticas e discurso ambiental. Vertentes dos discursos sobre a natureza. A Amazônia na mídia: a reconfiguração dos conceitos de populações tradicionais e de recursos naturais. O percurso discursivo dos conceitos de ecologia, biodiversidade, ecossistema, sustentabilidade/desenvolvimento sustentável e a consequente disputa pela produção de sentidos sobre esses conceitos. A inserção da Amazônia no debate ambiental globalizado.

 

Comunicação, Socialidade e Intersubjetividade

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina pensa a comunicação e a cultura como fenômenos de socialidade e de intersubjetividade, investigando os fundamentos teóricos desses conceitos e as práticas metodológicas que surgem dessa perspectiva. Nessa direção, algumas questões se colocam: Como se produzem, cultural e comunicacionalmente, as interações sociais, as afetividades, as sensibilidades, a memória e o esquecimento, as representações sociais, o dizer-em-comum e a sensação de estar-junto, as identidades e as identificações, o gosto. A disciplina está focada em práticas de investigação, modelos de pesquisa e compreensão dos fenômenos da comunicação e da cultura no espaço amazônico.

 

Estratégias Institucionais de Comunicação na Amazônia

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

Analisa a construção dos discursos institucionais. Discurso e relações de poder. A comunicação voltada para a intervenção social. Receptor ou interlocutor: os paradoxos das estratégias institucionais em comunicação. O paradigma difusionista e sua crítica: comunicação para o desenvolvimento. As campanhas comunicacionais.

 

Etnografias e Identidades

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

As experiências de narrar, informar e interagir, na contemporaneidade, ampliaram bastante suas formas de circulação. Hoje, as narrativas convergem, colidem e divergem em enunciações, muitas vezes fraturadas, que forjam, silenciam e visibilizam processos de construção de identidades nas terras indígenas, nos quilombolas, nos assentamentos, nas grandes e pequenas cidades, nas redes sociais. O objetivo desta disciplina é problematizar os agenciamentos de diferentes matrizes culturais, sobretudo as latino-americanas, e as possibilidades multisituadas da pesquisa empírica neste universo plural de comunicabilidades.

 

Mídia e cultura na Amazônia 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina pretende refletir sobre como repercute na Amazônia o novo mapa de tensões políticas e culturais que emerge como contraponto à ordem tecnoeconômica global que, no plano simbólico, se expressa hegemonicamente pelo crescente e intenso processo de midiatização das sociedades contemporâneas. Apreender as singularidades das dinâmicas culturais e sociais amazônicas ante a lógica do global. Qual o significado da presença das operações de inteligibilidade midiática numa região cujas práticas sociais e culturais não são de imediato assimiláveis por uma ordem comunicativa globalizante. Pretende-se dar ênfase à relação entre midiatização, cotidiano e práticas sociais emergentes, tais como a produção da alteridade, da sociabilidade e dos processos de construção social das identidades na Amazônia.

 

Narrativas Contemporâneas

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina parte da abordagem que o ato de narrar constitui a relação entre sujeitos e vida social. Ou seja, as narrativas são produtoras de sentidos e de modos de interações, em que procuramos entender quem somos e como instituímos representativamente o mundo. Nessa perspectiva, busca-se compreender como as narrativas midiáticas representam e reconstroem a realidade. A disciplina está estruturada pelas conceituações e caracterizações das narrativas, passando pela literatura, mito e ficção; da escrita ao virtual. Com as narrativas é possível compreender as interações humanas e os atos de fala: a relação do eu com o outro, bem como a constituição dos contextos históricos, sociais e culturais em que estão inseridas.

 

Processos e práticas comunicacionais na/da Amazônia

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina tem como foco discutir a dimensão constitutiva dos processos comunicativos na sociedade. Para tanto, serão estudados conceitos como os de interação, experiência e apropriação como elementos dos processos comunicativos na tessitura das relações sociais no contexto amazônico. Em um diálogo teórico-empírico, será exercitada a leitura do que há de especificamente comunicacional em diferentes processos e práticas sociais amazônicos.

 

Teorias da Cultura

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina se dedica ao estudo das teorias que priorizam a explicação dos processos social-históricos e comunicativos com base e a partir de matrizes reflexivas culturais. Propõe-se uma recuperação do conceito antropológico e sociológico de cultura para lançar um olhar crítico sobre explanações produzidas pelos estudos culturais pelas diferentes teorias das mediações; pelas teorias do imaginário; pelas análises psicanalíticas da comunicação; pelas reflexões sobre o pós-humanismo e o pós-estruturalismo; pelos Estudos Culturais; pela desconstrução e pelas teorias da mídia.

 

Comunicação da Ciência

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina se propõe a discutir o conceito de comunicação da ciência, tendo em vista que a ciência é uma produção humana e social. Estudar os processos de comunicação da ciência de diversos públicos, em diversas linguagens e ambientes, pondo em diálogo o conhecimento científico com o conhecimento tradicional e contemporâneo.

 

Comunicação e Consumo 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina objetiva compreender a expansão e relevância do consumo na sociedade capitalista moderna, abordando as várias configurações históricas que possibilitaram a passagem de uma sociedade orientada para a produção a uma sociedade orientada para o consumo. Assim, deseja-se problematizar os discursos e práticas contemporâneos acerca do consumo e seus vínculos com questões de autonomia individual, identidades, responsabilidade, controle social e sobre o consumo colaborativo. Propõe-se, igualmente, fazer uma reflexão sobre o papel do fetichismo na subjetividade da sociedade de mercado e os desdobramentos das estratégias que lhe são afins no que se refere à organização social e ao espaço amazônico.

 

Comunicação, Espetáculo e Processos Socioculturais 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina trata do conceito de espetáculo e de sua relação com a comunicação, com a política e com a mídia. Busca entender a natureza do espetáculo como acontecimento e como movimento imanente da vida em sociedade e, portanto, como fator aglutinador da realidade cotidiana, que distribui estímulos e sensações, tornando a recepção das mensagens uma experiência plural. Para isso, explora as teorias do espectador e suas aplicações no campo da comunicação. Pretende-se destacar a espetacularizacão como acionamento dos dispositivos para produzir o espetáculo, a possibilidade de uma linguagem espetacular acionada por uma ontologia da imagem, a cultura de consumo como ordem do espetáculo e os espetáculos culturais na Amazônia.

 

Estética da Comunicação

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina procura compreender o papel da estética nos processos comunicativos, indagando sobre as dinâmicas de confluências entre a cultura midiática e as experiências sociais do gosto, do sentir coletivamente e da intersubjetividade. A proposta é discutir a interseções entre as teorias estéticas e a experiência da comunicação na cultura contemporânea, buscando compreender a dimensão estética dos processos comunicacionais. Temas análogos a essa problemática serão igualmente debatidos: a relação entre arte e comunicação, as práticas alegóricas e anafóricas da cultura comunicativa contemporânea, os modelos críticos, as sensibilidades contemporâneas, as narrativas e as experiências intersubjetivas do sentir coletivo contemporâneo, como o gosto comum, as tribos, torcidas, fãs-clubes e comunidades virtuais.

 

Metodologia da Pesquisa em Comunicação 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina compreende duas fases articuladas entre si. Na primeira fase são fornecidos os subsídios teóricos necessários para entender a abordagem da metodologia e prática de pesquisa em Comunicação, numa perspectiva interdisciplinar.

 

Mídia, Memória e Amazônia 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

O objetivo da disciplina é discutir o papel da mídia como articuladora da memória social, os sentidos hegemônicos e não hegemônicos que constitui em relação à Amazônia, enquanto outros são silenciados. Busca também observar a mídia na região em uma perspectiva histórica, até a complexa configuração que apresenta na contemporaneidade. A enunciação midiática na Amazônia e sobre a Amazônia.

 

Pesquisa Empírica em Comunicação 

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A proposta da disciplina é promover a análise de objetos/ pesquisas empíricas desenvolvidas na área da Comunicação, objetivando a aplicação de procedimentos teórico-metodológicos utilizados. A partir das análises serão realizados exercícios aplicativos orientados ao desenvolvimento das pesquisas dos discentes. Considerando que a pesquisa deve conciliar e apresentar coerência entre problema, teorias e observação da realidade, propõe-se refletir sobre objetos observáveis, procurando perceber relações destes com a teoria e o problema de pesquisa. Pretende-se auxiliar na construção das práticas de pesquisas de campo dos alunos, analisando estudos empíricos já realizados.

 

Representações Imagéticas da Amazônia

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

A disciplina propõe uma fundamentação teórica e metodológica que permita a construção de um referencial crítico para a pesquisa sobre os processos imagéticos, com vistas a oferecer instrumentos para uma abordagem das questões relativas à imagem e à visualidade pela pesquisa em comunicação e cultura na Amazônia. Procura-se compreender os regimes e os dispositivos de visualidade em suas relações com os meios de comunicação, com a produção de subjetividade e com expressão artística. Por outro lado, num plano mais amplo, procura-se compreender a função da imagem nos processos socioculturais e na formação da cultura. A disciplina tem um olhar particular para as representacões imagéticas da Amazônia, procurando compreender as relações entre iconicidade e processo de comunicacão, tanto do ponto de vista propriamente visual quanto imagético-textual e, ainda, as modalidades de que essas representações podem se revestir em contextos diversos (publicidade, jornalismo, literatura, artes visuais, etc.).

 

Tópicos Especiais em Comunicação e Cultura

(CH 45h – CRÉDITOS: 03)

 

Discussão e aprofundamento de temáticas emergentes desenvolvidas por grupos de pesquisa do Programa. Essas disciplinas são ofertadas semestralmente e suas temáticas são escolhidas de acordo com as demandas das pesquisas.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now